Dra Tatiana Moura

DRA TATIANA MOURA

Abdominoplastia

Dra Tatiana Moura

@dratatianamoura

ABDOMINOPLASTIA

Indicação:

A maioria dos pacientes que procura uma abdominoplastia o faz devido ao desejo de corrigir uma anormalidade de contorno corporal,  excessos de pele, gordura ou os dois elementos são indicações mais comuns para esta cirurgia.

Anestesia:

Pode ser realizada com anestesia peridural ou anestesia geral.

Procedimentos:

A cirurgia é realizada através de uma incisão com o mesmo posicionamento  utilizado na cesariana, com extensão até a região lateral do quadril. É feito um deslocamento em toda a parede anterior/lateral do abdômen, liberação do umbigo, fechamento dos músculos, abertura do umbigo e retirada do excesso de pele e gordura. Neste mesmo procedimento hérnias podem ser corrigidas, em geral, a hospitalização é de 24 horas.

A cirurgia dura em média 2 horas e 30 minutos.

Riscos:

As complicações mais comuns da abdominoplastia, em ordem decrescente de frequência, são : seromas (acúmulo de líquido), hematomas (sangramentos), infecções, deiscências parciais e necrose cutâneas, ligadas a tabagismo, diabetes, obesidade mórbida e doenças cardiovasculares juntas, estas complicações ocorrem em 12% de todas as abdominoplastias e correspondem por mais de 98% de todas as complicações relatadas. Complicações mais graves como necrose extensa de pele, trombose venosa profunda ou embolia pulmonar são muito raras.

Pós operatório:

Em geral, um dreno a vácuo é utilizado por alguns dias a fim de evitar hematomas. O paciente deve manter repouso relativo enquanto estiver com dreno retornando as suas atividades habituais em 15 dias. Exercícios físicos só são permitidos após 90 dias e o uso de malha compressiva deve ser feito por 60 dias. A drenagem linfática é necessária para a recuperação do paciente para um melhor resultado estético.

Gestação:

Não há contra indicação para uma nova gestação após a abdominoplastia, porém, ocorrerá perda de resultado

Quando devo trocar a prótese?

Até recentemente, era recomendada a cada dez anos, pois se sabia que, a partir dessa data, o risco de quebra do implante mamário aumentava significativamente. Atualmente, a grande resistência oferecida pelas novas próteses de gel de alta coesão, garantem uma vida quase vitalícia. Recomendo check-ups regulares para verificar sua condição, mas os laboratórios do fabricante estimam para essas novas próteses que a maioria das mulheres submetidas a aumento de mama não precisará de substituição de implante mamário antes de vinte e cinco ou trinta anos; e em muitos casos não será necessário substituir a prótese.

Anestesia local ou anestesia geral?

Um dos medos de algumas pacientes é a anestesia. Tradicionalmente, o aumento do peito é uma cirurgia que fazemos sob anestesia geral. Embora seja uma operação de pouco tempo, é aconselhável realizá-la sempre sob o controle estrito do anestesista na sala de cirurgia e em um centro hospitalar que tenha todas as medidas de segurança. Atualmente, temos a possibilidade de realizar essa cirurgia com anestesia local e sedação mínima, o que permite que o paciente esteja praticamente acordado durante toda a intervenção.

No meu canal de Youtube tenho mais de 100 vídeos explicativos de procedimentos

Tem alguma pergunta? Ligue para nós agora!

Rua Itapeva 378, CJ 133, Bela Vista - São Paulo