Dra Tatiana Moura

DRA TATIANA MOURA

mamoplastia redutora

Dra Tatiana moura

@dratatianamoura

mamoplastia redutora

Indicação:

A cirurgia de redução mamária surgiu primeiramente para o alívio de sintomas físicos desconfortáveis como: sulcos nos ombros, dores nas costas, ombros e pescoço, maceração e infecção da região inframamária. Porém, esta técnica também beneficia as pacientes com outros sintomas como: dificuldade de achar roupas que vistam bem, dificuldade em realizar exercícios físicos pelo volume e pesos das mamas e sentimentos de desvalorização.

Mamas com grandes volumes, que representem desconforto a paciente.

Anestesia:

Peridural com sedação ou geral.

Procedimentos:

Existem várias técnicas de redução de mama, cada qual com suas vantagens e desvantagens. Normalmente a diferença entre as técnicas se deve a forma com que a aréola receberá a irrigação (aporte sanguíneo), externamente resultam cicatrizes semelhantes, a cicatriz em T invertido. Reposicionamos a aréola, normalmente diminuindo seu diâmetro e ressecamos o excesso de pele e glândula mamária. Vale ressaltar, que quanto maior a mama, maior será a cicatriz. A cirurgia demora em média 3h 30 min. Não utilizamos drenos.

Internação:

12 a 24 horas.

Riscos:

Assimetria, remoção de muito ou pouco tecido, cicatrização inestética, cicatrização demorada na base do T invertido, alteração de sensibilidade areomamilar, infecção, perda parcial ou total da aréola, necrose da pele, necrose gordurosa. Alteração de lactação é rara, mas podem ocorrer dependendo do tamanho da mama previamente a cirurgia.

Pós operatório:

Como toda cirurgia de mamas, são 15 dias sem elevar o cotovelo acima dos ombros e 30 dias sem fazer esforço físico. Ginástica com os braços será liberada com 90 dias. O uso do soutien cirúrgico deve ser feito por 90 dias.

Idade:

Normalmente devemos esperar a maturação completa das mamas. Entretanto, se os sintomas forem muito intensos o procedimento pode ser realizado com maior antecedência. A paciente e sua família devem entender que o procedimento nesta fase pode não ser definitivo, já que a mama pode continuar a crescer.

Quando devo trocar a prótese?

Até recentemente, era recomendada a cada dez anos, pois se sabia que, a partir dessa data, o risco de quebra do implante mamário aumentava significativamente. Atualmente, a grande resistência oferecida pelas novas próteses de gel de alta coesão, garantem uma vida quase vitalícia. Recomendo check-ups regulares para verificar sua condição, mas os laboratórios do fabricante estimam para essas novas próteses que a maioria das mulheres submetidas a aumento de mama não precisará de substituição de implante mamário antes de vinte e cinco ou trinta anos; e em muitos casos não será necessário substituir a prótese.

Anestesia local ou anestesia geral?

Um dos medos de algumas pacientes é a anestesia. Tradicionalmente, o aumento do peito é uma cirurgia que fazemos sob anestesia geral. Embora seja uma operação de pouco tempo, é aconselhável realizá-la sempre sob o controle estrito do anestesista na sala de cirurgia e em um centro hospitalar que tenha todas as medidas de segurança. Atualmente, temos a possibilidade de realizar essa cirurgia com anestesia local e sedação mínima, o que permite que o paciente esteja praticamente acordado durante toda a intervenção.

No meu canal de Youtube tenho mais de 100 vídeos explicativos de procedimentos

Tem alguma pergunta? Ligue para nós agora!

Rua Itapeva 378, CJ 133, Bela Vista - São Paulo